Deuxieme


quinta-feira, dezembro 20, 2007

Sem tirar a roupa.

Isto poderá não ser muito bem entendido com uma notícia. Quer dizer, importa assim tanto o que Julia Roberts terá a dizer ao mundo? Se calhar, até importa. Sobretudo se estiver relacionado com cinema. E, melhor ainda, se ela meter os pés pelas mãos.

Antes de mais, a ressalva indispensável, e que fica sempre bem nestes casos, mesmo que não seja verdade (embora seja): Eu gosto de Julia Roberts. Enquanto actriz, entenda-se. E, não por Pretty Woman, quiçá o seu trabalho mais aclamado. Onde Roberts conquistou em definitivo a admiração deste que se assina foi em Everyone Says I Love You, Erin Brockovich e Closer. No entanto, reconhecer o talento de uma actriz nunca foi impedimento para colocar a descoberto a sua astúcia.

Com efeito, desta frase de Roberts, todos devemos tirar as nossas próprias conclusões. Eu posso dizer que consegui tirar duas, a saber: a) Do facto de Julia Roberts jamais se despir num filme, não vem grande mal ao mundo e, b) Felizmente, Kate Winslet, Juliette Binoche, Jodie Foster, Julianne Moore, Susan Sarandon, e outras tantas que marcaram a história do cinema, pensam de maneira diferente. O que Julia Roberts disse, afinal de contas, foi o seguinte:

“I wouldn't do nudity in a film. To act with my clothes on is a performance. To act with my clothes off is a documentary”.

Pois, se calhar é por isso que ninguém percebe A Lagoa Azul. Aquilo não é ficção. Está tudo explicado.

Alvy Singer

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Cataclismo Cerebral said...

Não tenho quaisquer problemas em admitir que gosto da Julia Roberts,acho-a uma excelente actriz (quem me conhece sabe que defendo sempre a Pretty Woman). No entanto, reconheço que é muito subvalorizada; Hollywood não lhe dá grandes hipóteses fora das comédias românticas. Quando foge desse meio (do qual não tenho nada contra) consegue demonstrar toda a amplitude do seu talento (Closer, Erin Brockovich, Mary Reilly,...). Acho que ela é muito subtil em termos dramáticos, especialmente quando tem uma boa personagem para defender. Quanto à questão do corpo, parece-me que lida com as suas próprias inseguranças de forma muito cómica. Se bem que ache que ela não tem razões para se envergonhar seja do que for...

Abraço

20 de dezembro de 2007 às 17:46  
Anonymous Anónimo said...

Eu confesso que não gosto sequer da Julia Roberts, e a acho uma actriz limitadíssima. Prefiro qualquer outra das actrizes mencionadas no post.

Mas há uma coisa que eu não percebo. Onde é que está a astucia na decisão de uma actriz em não tirar as roupas em frente da câmara?

20 de dezembro de 2007 às 23:12  

Enviar um comentário

<< Home

Menu Principal

Home
Visitantes
Website Hit Counters

CONTACTO

deuxieme.blog@gmail.com

Links

Descritivo

"O blogue de cinema"

  • Estreias e filmes em exibição
  • Próximas Estreias
  • Arquivos

    Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011

    Powered By





     
    CANTINHOS A VISITAR
  • Premiere.Com
  • Sound + Vision
  • Cinema2000
  • CineCartaz Público
  • CineDoc
  • IMDB
  • MovieWeb
  • EMPIRE
  • AllMovieGuide
  • /Film
  • Ain't It Cool News
  • Movies.Com
  • Variety
  • Senses of Cinema
  • Hollywood.Com
  • AFI
  • Criterion Collection