Deuxieme


terça-feira, novembro 14, 2006

Esta Semana Estreia/16/11

Desde o regresso da parelha de sucesso em Gladiador, passado pela estreia como argumentista de Michel Gondry, que também assina a realização de A Ciência dos Sonhos, até ao blockbuster de meia-estação de Jonathan Liebesman, este é um fim-de-semana de muita oferta. Se a procura for muita, até um filme de Richard Donner com Bruce Willis pode passar despercebido. Eis os filmes que estreiam esta semana:

UM ANO ESPECIAL (Ridley Scott) / A Good Year
Russell Crowe, Albert Finney
BRICK (Rian Johnson)
Joseph Gordon-Levitt, Emilie de Ravin
A CIÊNCIA DOS SONHOS (Michel Gondry) / The Science of Sleep
Gael García Bernal, Charlotte Gainsbourg
CORRIGINDO BEETHOVEN (Agnieszka Holland) / Copying Beethoven
Ed Harris, Diane Kruger
ESTRANHOS (Simon Brand) / Unknown
James Caviezel, Greg Kinnear
O LUGAR IDEAL (Danièle Thompson) / Fauteuils d'Orchestre
Cécile de France, Valérie Lemercier
MASSACRE NO TEXAS — O INÍCIO (Jonathan Liebesman) / Texas Chainsaw Massacre: The Beginning
Matthew Bomer, Jordana Brewster
16 BLOCKS (Richard Donner)
Bruce Willis, Mos Def
VIÚVA RICA SOLTEIRA NÃO FICA (José Fonseca e Costa)
Rogério Samora, Cucha Carvalheiro


Não se esqueçam de fazer os v. comentários ou criticas sobre os filmes da semana...

6 Comments:

Blogger brain-mixer said...

"A CIÊNCIA DOS SONHOS", sem dúvida alguma! Há um ano que ando a publicitá-lo no meu blog.

14 de novembro de 2006 às 16:47  
Anonymous José Soares said...

Eu estou muito curioso com o "Brick", encontrei o cartaz há já algum tempo e desde logo me cativou.

Espero ter tempo para o assistir no cinema.

Abraço

14 de novembro de 2006 às 19:20  
Anonymous Anónimo said...

Apesar de ser um dos meus realizadores predilectos, as previsões do último título de Ridley Scott não me seduz nem um pouco.

Parece ser demasiado 'ligh-hearted' para um cineasta deste calibre...

Estarei errado?

15 de novembro de 2006 às 15:17  
Anonymous Sofia said...

A escolha do filme a ver esta semana parece difcícil, mas devo confessar que ainda tenho o The Departed em linha de espera... e pelo trailler o novo de Ridley Scott parece-me que vai esperar!

Gostei muito da ideia do blog, e agora, assim como a revista, tenho mais um meio de comunicação relacionado com o cinema para acompanhar!

15 de novembro de 2006 às 22:15  
Anonymous m@ry said...

Fui ver ontem o "Perfume" e ao ver o trailler do "um ano especial" fikei fascinada e curiosa para o ir ver, espero n me desiludir...este mês a premiere promete...abraço

20 de novembro de 2006 às 20:57  
Anonymous Pedro Xavier said...

Quem não estiver à espera, certamente se surpreenderá com o nome de Ridley Scott no genérico inicial, desempenhando as funções de realizador do filme. Mas o porquê da surpresa? Pelo género, pela forma e pelo conteúdo a que nos habituou. Aliás, a que não nos habituou! Pois veja-se a versatilidade deste realizador britânico: depois de nos mostrar “Aliens” e “Blade Runner” na ficção cientifica, “G.I. Jane” e “Black Hawk Down” em cenários de guerra e destruição, depois das pérfidas manias de “Hannibal” Lecter e do monumental e oscarizado “Gladiator” seguido do flop “Kingdom of Heaven” (parece que a versão Director’s Cut é bem melhor) como filmes de época, Ridley volta a apostar em temáticas ligeiras ao gosto de “Thelma e Louise” e com um ligeiro gosto a “Under the Tuscan Sun”, com Diane Lane, apimentado com a enologia de “Sideways” de Alexander Payne.

Desta vez Russel Crowe, depois de ser gladiador, pugilista, comandante no alto mar, matemático brilhante ou um ex-funcionário de uma importante tabaqueira, representa o papel de um corretor de sucesso da bolsa londrina. Ao descobrir que o único ente querido que amava havia morrido e lhe deixado a propriedade na Provença, parte para uma redescoberta e relembrar de cheiros, sons e sabores de uma infância saudosista e há muito esquecida. Frio e insensível, produto de uma vida citadina artificial mostra, no entanto, a sua ferocidade e animalidade contidas e associadas a uma vida selvagem campestre. Pois o seu regresso ao estado natural demonstra e faz-lhe relembrar que a sua vida está desarticulada daquilo que pensava ser-lhe intrínseco, quer pelos imensos flashbacks (mas essenciais) da sua infância com o tio (Albert Finney), quer pela reaparição da “musa” francesa que o prende e o faz redescobrir o sentido da vida (o contraponto no telefonema final é ilucidadivo).

“A Good Year – Um Ano Especial” são todos os verões que Max (Crowe) passou com o tio, o cheiro das vinhas e o sabor dos vinhos. Com esta ligeira comédia, provida, no entanto, de toda a qualidade de luz e imagem que Ridley nos tem habituado, é um bom e refrescante tónico.

-----------------------------------
3 estrelas; 6/10

O Bom: Russel Crowe (como sempre) e a Provença
O Mau: Como os filmes do género, previsível…


PEDRO XAVIER

29 de novembro de 2006 às 20:12  

Enviar um comentário

<< Home

Menu Principal

Home
Visitantes
Website Hit Counters

CONTACTO

deuxieme.blog@gmail.com

Links

Descritivo

"O blogue de cinema"

  • Estreias e filmes em exibição
  • Próximas Estreias
  • Arquivos

    Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011

    Powered By





     
    CANTINHOS A VISITAR
  • Premiere.Com
  • Sound + Vision
  • Cinema2000
  • CineCartaz Público
  • CineDoc
  • IMDB
  • MovieWeb
  • EMPIRE
  • AllMovieGuide
  • /Film
  • Ain't It Cool News
  • Movies.Com
  • Variety
  • Senses of Cinema
  • Hollywood.Com
  • AFI
  • Criterion Collection