Deuxieme


terça-feira, novembro 14, 2006

JACK PALANCE (1919-2006)

Foi um dos mais emblemáticos ‘duros’ do cinema norte-americano, com um rosto que parecia talhado à medida para fazer de mau da fita, mitificado num dos seus mais célebres papéis, o do pistoleiro vestido de negro no western Shane (1953), de George Stevens. Entre as suas interpretações mais emblemáticas, refiram-se Pânico nas Ruas (1950), de Elia Kazan, O Apache Branco (1953), de Charles Marquis Warren, O Sinal do Pagão (1954), de Douglas Sirk, No Reino da Calúnia (1955) e Ataque (1957), ambos de Robert Aldrich, e O Desprezo (1963), de Jean-Luc Godard. Foi nomeado três vezes para o Oscar de Melhor Actor Secundário – por Medo Súbito (1952), de David Miller, por Shane, e ainda pela comédia A Vida, o Amor e as Vacas (1991), de Ron Underwood. Ganhou a estatueta dourada por este último filme, com um discurso de aceitação que fez história nas cerimónias da Academia: para provar que os seus mais de 70 anos não lhe constituiam impedimento para fazer qualquer tipo de papéis, atirou-se para o chão e fez flexões com um braço só! Jack Palance faleceu aos 87 anos, de causas naturais. Que memórias guardam os leitores da Premiere deste actor tão carismático?

5 Comments:

Blogger brain-mixer said...

Infelizmente, o primeiro filme que me vem à memória é o "Tango & Cash"... Logo a seguir vem o "City Slickers II", fazendo de irmão gémeo (?) do filme original.

Não me censurem, pois este actor não tem obras-primas nos seus tempos mais recentes. Onde as suas interpretações são reconhecidas e elogiadas, surgem nos filmes de década de 60 e 70, infelizmente em filmes algo perdidos (digamos esquecidos) para a nova geração...

14 de novembro de 2006 às 16:40  
Anonymous José Soares said...

RIP

14 de novembro de 2006 às 19:02  
Anonymous Anónimo said...

De Jack Palance, recordo a escolha — com muito bom gosto, refira-se — de Tim Burton em inclui-lo no elenco de BATMAN (1989), no papel do padrinho da máfia de Gotham City. Apesar do curto tempo de ecrã, Palance demonstrou em pleno o seu charme, talento e presença... Adjectivos estes que o transformam num dos vultos recentes da 7ª Arte.

14 de novembro de 2006 às 20:27  
Blogger Misato said...

"Le Mépris" (memorável!), "Bagdad Cafe" e a cerimónia dos Oscar! Que pena, era daqueles canastrões valentes como há poucos!

15 de novembro de 2006 às 23:25  
Anonymous Anónimo said...

Grandissimo senhor, a minha homenagem.

17 de novembro de 2006 às 18:05  

Enviar um comentário

<< Home

Menu Principal

Home
Visitantes
Website Hit Counters

CONTACTO

deuxieme.blog@gmail.com

Links

Descritivo

"O blogue de cinema"

  • Estreias e filmes em exibição
  • Próximas Estreias
  • Arquivos

    Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011

    Powered By





     
    CANTINHOS A VISITAR
  • Premiere.Com
  • Sound + Vision
  • Cinema2000
  • CineCartaz Público
  • CineDoc
  • IMDB
  • MovieWeb
  • EMPIRE
  • AllMovieGuide
  • /Film
  • Ain't It Cool News
  • Movies.Com
  • Variety
  • Senses of Cinema
  • Hollywood.Com
  • AFI
  • Criterion Collection