Deuxieme


segunda-feira, fevereiro 19, 2007

79ª Cerimónia dos Oscar

Seja crítico. Quais são os seus vencedores para os Oscar deste ano? Seja um crítico de cinema ou um membro da Academia de Hollywood votando aqui na PREMIERE, quais as suas escolhas para os Melhores do Ano!

Melhor Filme:





Babel, The Departed: Entre Inimigos, Cartas de Iwo Jima, Uma Família à Beira de Um Ataque de Nervos e A Rainha

Melhor Realizador:





Alejandro González Iñárritu (Babel), Martin Scorsese (The Departed: Entre inimigos), Clint Eastwood (Cartas de Iwo Jima), Stephen Frears (A Rainha) e Paul Greengrass (Voo 93)

Melhor Actor Principal:





Leonardo Di Caprio (Diamante de Sangue), Ryan Gosling (Half Nelson), Peter O'Toole (Venus), Will Smith (Em Busca da Felicidade) e Forest Whitaker (O Último Rei da Escócia)

Melhor Actriz Principal:






Helen Mirren (A Rainha), Kate Winslet (Pecados Íntimos), Judi Dench (Notes on a Scandal), Penelope Cruz (Volver – Voltar) e Meryl Streep (O Diabo Veste Prada)

Melhor Actor Secundário:





Alan Arkin (Uma Família à Beira da Um Ataque de Nervos), Jackie Earle Haley (Pecados Íntimos), Djimon Hounsou (Diamante de Sangue), Eddie Murphy (Dreamgirls), Mark Wahlberg (The Departed: Entre Inimigos)

Melhor Actriz Secundária:






Adriana Barraza (Babel), Cate Blanchet (Notes on a Scandal), Abigail Breslin (Uma Família à Beira de Um Ataque de Nervos), Jennifer Hudson (Dreamgirls), Rinko Kikuchi (Babel)

Melhor Filme de Língua Não Inglesa:





After the Wedding (Dinamarca, 2006), Indigènes (Argélia, 2006), Das Leben der Anderen (Alemanha, 2006), El Laberinto del Fauno (México, 2006), Água (Canadá, 2005)

Melhor Longa-Metragem de Animação:






Carros, Happy Feet e A Casa Fantasma

Melhor Argumento Original:





Babel, Cartas de Iwo Jima, Uma Família à Beira de Um Ataque de Nervos, El Laberinto del Fauno, A Rainha

Melhor Argumento Adaptado:







Borat: Aprender Cultura da América para Fazer Benefício Glorioso à Nação do Cazaquistão, Os Filhos do Homem, The Departed: Entre Inimigos, Pecados Íntimos, Notes on a Scandal

Melhor Direcção Artística:






Dreamgirls, The Good Shepherd, El Laberinto del Fauno, Pirates das Caraíbas: O Cofre do Homem Morto, O Terceiro Passo

Melhor Fotografia:






A Dália Negra, Os Filhos do Homem, O Ilusionista, El Laberinto del Fauno, O Terceiro Passo

Melhor Guarda-Roupa:





Curse of the Golden Flower, O Diabo Veste Prada, Dreamgirls, Marie Antoinette, A Rainha

Melhor Montagem:





Babel, Diamante de Sangue, Os Filhos do Homem, The Departed: Entre Inimigos e Voo 93

Melhor Caracterização:





Apocalypto, Click, El Laberinto del Fauno

Melhor Banda Sonora:





Babel, The Good German, Notes on a Scandal, El Laberinto del Fauno, A Rainha

Melhor Canção Original:






"I Need to Wake Up", de Uma Verdade Inconveniente; "Listen", de Dreamgirls; "Love You I Do", de Dreamgirls; "Our Town", de Carros;
"Patience", de Dreamgirls.

Melhor Montagem Sonora:





Apocalypto, Diamante de Sangue, Flag of Our Fathers – As Bandeiras dos Nossos Pais, Cartas de Iwo Jima, Piratas das Caraíbas: O Cofre do Homem Morto

Melhor Som:





Apocalypto, Diamante de Sangue, Flag of Our Fathers – As Bandeiras dos Nossos Pais, Dreamgirls, Piratas das Caraíbas: O Cofre do Homem Morto.

Melhores Efeitos Especiais:





Pirates das Caraíbas: O Cofre do Homem Morto, Poseidon, Super-Homem: O Regresso

Melhor Documentário:





Deliver Us From Evil, Uma Verdade Inconveniente, Iraq in Fragments, Jesus Camp, My Country, My Country

Melhor Documentário de Curta-Metragem:







The Blood of Yingzhou District, Recycled Life, Rehearsing a Dream, Two Hands

Melhor Curta-Metragem de Ficção:





Binta Y La Gran Idea, Éramos Pocos, Helmer&Son, The Saviour, West Bank Story

Melhor Curta-Metragem de Animação:






The Danish Poet, Lifted, The Little Matchgirl, Maestro, No Time for Nuts

Oscar Honorário








Ennio Morricone

Prémio Humanitário Jean Hersholt







Sherry Lansing

32 Comments:

Anonymous Anónimo said...

A ver se é desta que Scorsese arrecada o seu Óscar...

Apesar da surpresa da não nomeação para Melhor Filme de DREAMGIRLS, fiquei ainda mais surpreso com a não inclusão de Eduardo Serra para o prémio de Fotografia, por BLOOD DIAMOND. É que parecia mesmo garantido...

Cumprimentos cinéfilos.

23 de janeiro de 2007 às 21:05  
Blogger Palavra Actual said...

Acho que nesta lista de nomeações falta a presença de Johnny Depp. Na minha opinião o papel dele nos Piratas das Caraíbas: o Cofre do Homem Morto é fantástico (apesar de ser um bocado inferior ao primeiro filme da trilogia). Já está mais do que na hora de se reconhecer o magnífico actor que ele é.
Quanto aos nomeados, parece-me garantido o Oscar de Melhor Actriz a Helen Mirren pelo seu papel em "The Queen". Já quanto ao Oscar de Melhor Actor já não é assim tão linear, havendo dúvidas, quanto a mim, entre Peter O'Toole, Forest Whitaker e Leonardo DiCaprio. Poderá esta cerimónia dos Oscar parabenizar Leonardo DiCaprio pela sua óptima reinvenção como actor? Não devemos esquecer também o papel de Will Smith, que provavelmente também merecerá este Oscar.
Em relação ao Oscar de Melhor Realizador estou francamente convencida que quem o vai levar para casa será Martin Scorsese, embora Paul Greengrass me deixe um bocado com uma pulga atrás da orelha
Já quanto ao Oscar de Melhor Filme surgem-me novas dúvidas. Conquistará mais a Academia um membro da família britânica que tenta mostrar o seu lado mais comum após a tragédia que abalou a Inglaterra, como foi a morte da Princesa Diana? Conquistará mais a Academia, um filme que se foca na perda e dificuldade de comunicação? Ou será mais forte uma batalha travada entre os EUA e o Japão, vista pela perspectiva japonesa e que poderá significar um ponto final nas mágoas entretanto criadas por essa batalha? Tenho dúvidas entre estes 3 nomeados, mas acho que o meu palpite irá para Babel. Logo se verá =P

23 de janeiro de 2007 às 22:02  
Blogger BrunoMMR said...

A primeira nota terá que ir para a ausência de “História Trágica com Final Feliz”, e mesmo a de Eduardo Serra (as esperanças não eram muitas), como Sam apontou, entre os nomeados. Até poderíamos falar aqui um pouco de Alice, mas isso são contas para outros rosários…
Exceptuando os nomes que eram dados como certos, e que hoje confirmaram o seu favoritismo à nomeação, destaco as agradáveis surpresas de Dicaprio em Diamante de Sangue, Abigail Breslin por Little Miss Sunshine, Paul Greengrass por Voo 93, e o reconhecimento da Academia a Cartas de Iwo Jima, um filme que ameaçava passar ao lado desta edição, onde talvez tenha ficado só a faltar a nomeação a Ken Watanabe. A aparente incerteza que reina em todas as categorias, exceptuando as principais de interpretação, parece-me algo que será sinónimo de surpresas. Para além da curiosidade apontada pelo Grande Chefe, esta é também a primeira vez na história que nenhuma das cinco películas nomeadas para Melhor Filme tem uma nomeação para Melhor Actor.
Para quem quiser, aqui fica o endereço para o Pipeline da CNN (http://www.cnn.com/SPECIALS/2005/online.evolution/), onde é possível ver o anuncio dos nomeados. Basta clicar em Watch Now, e seleccionar Entertainment. Só pela reacção de Salma Hayek ao nome de Penélope Cruz vale a pena.

24 de janeiro de 2007 às 00:43  
Blogger cine7 said...

Bem..a cerimónia de entrega dos Óscares perde sempre um pouco de imprevisibilidade, quiçá devido aos festivais de cinema ou entregas de prémios tipo globos de ouro anteriores ou mesmo as suposições dos meios de comunicação mais influentes. O importante será sempre se as atribuições dos Óscares forem justas. Infelizmente faltou uma nomeação a Johnny Depp, mas a concorrência é "feroz". Gostava que ganhasse Leonardo DiCaprio (que esperava ver nomeado por The Departhed)pois já é mais do que tempo da Academia reconhecer o valor de um dos melhores actores da sua geração. Os novos actores merecem tanto destaque como os consagrados.
Babel ou The Departhed deviam poder partilhar o Óscar de Melhor filme. Se Martin Scorsese não ganhar o Óscar de melhor realizador, deviam fazer uma manifestação de protesto.
Esperemos para ver...

Cumprimentos, Isabel Fernandes

24 de janeiro de 2007 às 13:35  
Anonymous Pedro Baltarejo said...

Apesar de eu ainda ter na memória as memoráveis nomeações do ano passado. Meu favoritismo vai para Martin Scorsese e o seu The Departed, um obra-prima que é cinema, ou melhor a alma do cinema num só filme. Se a 25 de Fevereiro se confirmar sem dúvida que se faz história. Outra das razões para o qual esta 79ª Cerimónia dos Oscar ficara na historia, é a atribuição do Oscar honorário a um dos nomes mais soantes na história da música para cinema, Ennio Morricone que infelizmente nunca o levou para casa. O dificil será escolher qual a sua melhor banda sonora de tao perfeito que é, uma opurtunidade para reflectir sobre o peso das suas composições na linguagem cinematográfica especialmente nos filmes de Sergio Leone.

25 de janeiro de 2007 às 02:37  
Blogger Jacintho said...

Não gostava de ver Scorsese ganhar só porque sim. Seria premiar a carreira e não a realização do filme "The Departed" em si mesmo. Como explicar a ausência de mais nomeações para os actores deste filme?
Afinal "Borat" lá teve a sua nomeaçãozinha e eu estou a torcer para que ganhe na categoria para que foi nomeado. Não concordo muito com a "onda" que existe neste momento anti-Borat. Pareçe que é bom não gostar de "Borat". Vá-se lá saber porquê...
De resto, as minhas apostas para os vencedores dos Oscares, são as seguintes:
Melhor filme: Babel
Melhor Realizador: Clint Eastwood (Letters from Iwo Jima)
Melhor Actor Principal: Forest Whitaker (The Last King of Scotland)
Melhor Actriz Principal: Helen Mirren (The Queen)
Melhor Actor Secundário: Alan Arkin (Little Miss Sunshine)
Melhor Actriz Secundária: Adriana Barraza (Babel)


Paulo Jacinto
http://totodacabeca.blogspot.com/

25 de janeiro de 2007 às 16:01  
Anonymous Anónimo said...

Eu respeito todas as opiniões, desde que bem fundamentadas.
Por isso, gostava que alguém me explicasse o que o filme "Babel" tem de tão extraordinário para ganhar a estatueta de Melhor Filme. O quê?...

Aquilo é copy-paste do "Amores Perros" e do "21 Grams". E a mim ainda me espanta mais como é que um filme daqueles possa ser hipótese para ser considerado melhor.

Não porque o filme seja mau, porque é de facto bom, e o realizador também. Mas porque não espanta, não nos deixa de boca aberta, não é daqueles filmes que merece um lugar na nossa estante de DVD's sagrados. Aquele tipo de filme, o tipo de argumento, o tipo de mensagem que se quer passar... não me parece merecedor de Óscar. Não me parece.

Cumprimentos.

25 de janeiro de 2007 às 18:59  
Anonymous nikky said...

eu acho k dp de "crash" a fasquia está muito alta e p mim pelo menos é difícil axar k kk um dos filmes nomeados p melhor filme mereça levar p casa a estatueta... talvez "little miss sunshine"!
na categoria de melhor realizador tb estou dividida: scorcese pk sim, clint eastwood pk faz filmes bons em cadeia, mas talvez a surpresa ainda seja greengrass... não sei!
quanto aos desempenhos propriamente ditos, as minhas preferencias (e nao passa da humilde opiniao de kem n viu todos os filmes em questão) são: helen mirren e forrest withaker, rinko kikuchi e djimon hounsou. mas nesse caso "dreamgirls" sairia a perder...
enfim, duvido k o conceito dos EUA enquanto melting pot seja suficiente p premiar tantos estrangeiros.
só gostava era k me explicassem pk é k "volver" não está nomeado p lingua estrangeira, ja p n falar do nosso querido "historia tragica" k nao teve mm final feliz...

26 de janeiro de 2007 às 16:06  
Anonymous Anónimo said...

Ricardo said...

Foram apenas anunciados os candidatos às estatuetas e o debate em torno da justiça nas nomeações já aí está. Imaginem quando for tomada a decisão dos vencedores!

Há algumas surpresas nas nomeações. Por exemplo, a nomeação de Ryan Gosling (Half Nelson)para melhor actor principal e as várias de "El Laberinto del Fauno".

Apesar de muitas vezes ficar descontente com as escolhas da Academia, este ano voltarei a ficar colado - pelo décimo ano consecutivo - ao écran para assistir à cerimónia.

Sem que no final não estarei de acordo com algumas das escolhas, mas não é por isso que deixarei de ver o espectáculo.

Também estou na expectativa de ver a Ellen Degeneres como mestre da cerimónia. Não há hipótese de ser melhor do que Billy Crystal. Continuo à espera que Conan O'Brien possa um dia ser o anfitrião.

Eis os meu palpites, apesar de não ter visto todos os filmes nomeados nem os progagonistas e co-protagonistas em acção:
Filme: Babel (para desagrado de Pedro Oliveira)
Realizador: Martin Scorcese (é desta!)
Actor: Forest Whitaker
Actriz: Helen Mirren (nem um terramoto no momento em Seymour Hoffman abrir o envelope a impede de ganhar)
Actor secundário: Alan Arkin
Actriz secundária: gostaria que vencesse ou Adriana Barraza ou Rinko Kikuchi, mas, tenho um pressentimento, que nenhuma levará o Oscar para o México e/ou Japão...

Cumprimentos

26 de janeiro de 2007 às 16:27  
Anonymous Anónimo said...

No geral, muito duvidosas. Estou com o Sam, na dúvida se é desta que dão a Scorsese o tão merecido Óscar.
Depois, fiquei surpresa com o sucesso de 'Uma Família à Beira de um Ataque de Nervos' porque vi o filme e achei que não acrescentava nada de novo. Quem viu Os Tenenbaums ou o The Life Aquatic... já sabe ao que vai. Para além disso, adormeci a ver "A Rainha" e basicamente achei o filme uma seca. É certo que Hellen Mirren vai bem mas não me parece que mereça estar entre os melhores filmes do ano.
Eu adorei o Babel e acho que estava talhado para Oscar (com tudo o que isso implica de bom e de mau) por isso sou suspeita.
Em relação aos actores, só vi o filme com o DiCaprio por isso não me compete julgar.
Nas actrizes, do que vi, acho que a nomeação de Streep foi sobrevalorizada, apesar de eu a adorar.
Este ano, pela primeira vez, não tenho favorito para a melhor animação. Não gostei particularmente do Happy Feet, e o Carros não faz o meu género. Talvez para o ano o Miyazaki regresse ;)

26 de janeiro de 2007 às 18:27  
Anonymous Eduardo Cruz said...

Aqui vai...

Melhor Filme:
Cartas de Iwo Jima

Melhor Realizador:
Deve ganhar - Martin Scorsese (The Departed: Entre inimigos)

Acho que merecia - Clint Eastwood (Cartas de Iwo Jima)

Melhor Actor Principal:
Forest Whitaker (O Último Rei da Escócia)

Melhor Actriz Principal:
Deve Ganhar - Helen Mirren (A Rainha)

A minha preferida - Judi Dench (Notes on a Scandal)

Melhor Actor Secundário:
Deve Ganhar - Eddie Murphy (Dreamgirls)

Merecia Ganhar - Alan Arkin (Uma Família à Beira da Um Ataque de Nervos)

Melhor Actriz Secundária:
Cate Blanchet (Notes on a Scandal)

Melhor Filme de Língua Não Inglesa:
El Laberinto del Fauno (México, 2006)

Melhor Longa-Metragem de Animação:
Carros

Melhor Argumento Original:
Uma Família à Beira de Um Ataque de Nervos

Melhor Argumento Adaptado:
The Departed: Entre Inimigos

Melhor Direcção Artística:
El Laberinto del Fauno

Melhor Fotografia:
El Laberinto del Fauno

Melhor Guarda-Roupa:
Curse of the Golden Flower

Melhor Montagem:
The Departed: Entre Inimigos

Melhor Caracterização:
El Laberinto del Fauno

Melhor Banda Sonora:
El Laberinto del Fauno

Melhor Canção Original:
"Our Town", de Carros;

Melhor Montagem Sonora:
Flag of Our Fathers – As Bandeiras dos Nossos Pais

Melhor Som:
Flag of Our Fathers – As Bandeiras dos Nossos Pais

Melhores Efeitos Especiais:
Pirates das Caraíbas: O Cofre do Homem Morto

Melhor Documentário:
Uma Verdade Inconveniente

29 de janeiro de 2007 às 17:18  
Anonymous Cipri said...

Primeiro que tudo, acho que não houve grandes surpresas nestas nomeações aos Óscares, excepto a não nomeação de Dreamgirls para Melhor Filme e a nomeação da pequena Abigail Breslin para o Óscar de Melhor Actriz Secundária por Uma Família À Beira de Um Ataque de Nervos. Quanto ao resto dos filmes e actores, os nomeados acabaram por ser mais ou menos os esperados.
Babel e The Departed partem, a meu ver, como os grandes favoritos. Babel porque acaba de ganhar o Globo de Ouro para Melhor Filme Dramático, The Departed porque é um Martin Scorsese vintage, uma obra-prima instântanea. Uma Família À Beira de Ataque de Nervos já ganhou só ao ser nomeado, A Rainha parece-me ser dos cinco o filme que quase de certeza absoluta não ganhará e Cartas de Iwo Jima, apesar de estar rotulado pela crítica como um dos melhores filmes do ano e ser realizado por um Senhor chamado Clint Eastwood, não me pareça que vença, já que há apenas dois anos Eastwood foi duplamente premiado pelo magnífico Million Dollar Baby. Mas não deixa de ser irónico um filme que relata a guerra entre os EUA e o Japão retratada pelo lado japonês, falado em japonês e realizado por um norte-americano ser nomeado para Melhor Filme quando o seu filme irmão (As Bandeiras dos Nossos Pais) e que retrata o conflito pelo lado americano, foi deixado de fora...
Na realização, sem mais demoras e com todo o respeito pelos outros nomeados, o Óscar deverá e deve ir para Martin Scorsese. A realização de The Departed é um trabalho de mestre e o homem aos anos que já merece a estatueta dourada!
Quanto aos actores, 3 nomes estão entre os meus favoritos: Leonardo DiCaprio, Peter O´Toole e Forest Whitaker. DiCaprio está faboluso em Diamante de Sangue, Peter O´Toole é um Senhor Actor e depois de tantas nomeações (a 1ª foi à 44 anos pelo mítico Lawrence da Arábia de David Lean! 44 anos!), poderá ser recompensado com o Óscar apesar de ainda ter ganho um Óscar Honorário em 2004. Mas o vencedor da noite deverá ser Forest Whitaker, actor magistral que está a ganhar tudos os prémios que há para ganhar pelo seu papel em The Last King of Scotland e o Óscar não deverá ser excepção.
Quanto ás actrizes, um único nome anda pelas bocas do mundo: Helen Mirren. Se ela não vencer o Óscar, então estaremos perante a grande surpresa dos noite!
Quanto aos actores secundários, Eddie Murphy e Jennifer Hudson, ambos por Dreamgirls, deverão sair vencedores. O que não deixará de ser interessante ver Eddie Murphy com um Óscar na mão, depois do que a sua carreira se tinha tornado nos últimos anos...
Para finalizar, gostaria de destacar a ignorância com que o cinema é tratado em Portugal. Sempre que a imprensa abordou estas nomeaçãos, o grande destaque ia para Dreamgirls. Alguém me diz porquê? A RTP chegou a apresentar a notícia das nomeações com imagens em destaque de Dreamgirls e um jornal nacional (JN se não me engano) disse que Dreamgirls era um dos grandes favoritos da noite em destaque na capa! Para não falar do resto sempre com Dreamgirls em grande destaque. Para a imprensa portuguesa, Dreamgirls é o mais nomeado, logo é um dos grandes favoritos, nem se importam de ver em que categorias está nomeado. O filme é sim o mais nomeado mas não nos prémios mais importantes. São esses que fazem o destaque, são esses que determinam os vencedores e os vencidos, logo Dreamgirls nunca ganhará coisa nenhuma... Sei que as minhas palavras não mudaram nada em relação à ignorância com que o cinema é tratado em Portugal, mas não me custa falar no assunto.
Esta é a minha reacção aos nomeados para os Óscares. Madrugada de 26 de Fevereiro conhecere-mos os vencedores!

30 de janeiro de 2007 às 16:39  
Anonymous Alvy Singer said...

A resposta ao desafio aqui colocado, sobre a justiça ou não da nomeação de Babel, pode surgir tarde, mas chega. Não porque foi necessário reflectir muito sobre as suas qualidades, mas para ver se alguém dava o primeiro passo, pois isto de assumir a dianteira na defesa de um filme tem os seus riscos.
É verdade que Babel poderá não ser, à primeira vista, um grande filme. Até nem mesmo à segunda. Podemos não estar perante uma obra-prima, ou um filme inteiramente inovador, que abala os alicerces mais estáveis do cinema contemporâneo, mas estamos certamente, a falar de um dos melhores filmes de 2006. Quando, em 2000, Amor Cão chegou às salas, Iñárritu foi apelidado de aventureiro, seguidor de alguns dos mais marcantes cineastas da década de 90, como Tarantino, mas sendo ao mesmo tempo capaz de arriscar, e avançar sobre alguns temas que até então permaneciam encobertos. Com 21 Gramas, a história ganhou contornos de consolidação, e o filme trouxe ainda mais credibilidade a um currículo, na altura, bastante escasso. Por estas razões, considerar que Babel, ao ser meramente uma cópia dos dois antecessores de Iñárritu, é um filme menor, é, a meu ver, errado, pois estamos a falar de duas obras excepcionais que dão origem a uma terceira. Logo, não diminuímos o valor das duas primeiras, mas também não escamoteamos que a última é feita às suas imagens. Dai, referir-me de ora em diante a Babel como, Cópia nº1 de Iñárritu.
Mas como é que a Cópia nº1 de Iñárritu pode estar nomeada aos Oscars? Pode uma cópia ser merecedora de nomeação? Pode, se for capaz de transitar os elementos anteriores mais positivos, e melhorar ainda aquilo que era passível de desenvolvimento. Iñárritu pode até ter perdido algumas das suas faculdades de realização, e este ser o trabalho em que a mestria da câmara é menos visível, mas a Cópia nº 1 é, sem qualquer dúvida, o filme com maior compreensão deste cineasta. A fluidez com que quatro histórias percorrem o filme é notável, e a luz que incide sobre cada um dos conflitos é por demais elucidativa da realidade dos nossos dias. Não deixa de ser irónico que um filme que procura retratar os desentendimentos interculturais, se baseie em discórdias intraculturais para atingir o seu objectivo. De facto, aceita-se que este possa ser um objectivo prepotente e que, à partida, muitos rejeitem a abordagem da obra. Porém, à medida que avançamos no filme, deixamos de aspirar a grandes desfechos, e percebemos que o sucesso passará pela resolução de pequenas questões, éticas ou morais, mas sempre a um nível pessoal. Ao definir-se desta forma, não podemos simplesmente dizer que a Cópia não é um filme universal, ou não tenha o século XX ficado para a História como o Século do Self. A Cópia é um filme sobre a multicultura dos nossos tempos e, como tal, não poderia deixar de ser tão intimista quanto é, por mais paradoxal que seja. Um dos melhores filmes do ano, que pode não ser um dos melhores filmes de sempre. Mas isto faz-me sempre lembrar uma frase de Bette Davis, que ficou para a história do cinema: “Oh, Jerry, não cobicemos a Lua. Temos as estrelas.”.

30 de janeiro de 2007 às 23:14  
Anonymous Luís Oliveira said...

Alvy Singer,
Fui eu que lancei o repto para a questão do filme Babel, mas por alguma razão, o comentário ficou assinalado com fonte anónima, vá-se lá saber porquê. Talvez um bug qualquer do meu registo.

Ora bem, eu não vou dizer que discordo das linhas mestras do seu texto. Pelo contrário, concordo quase em bloco com o que referiu. No entanto, (e aqui poderá ser o ponto de divergência das nossas opiniões), o que disse não justifica a estatueta de melhor filme para Babel. Sustenta que é um bom filme (e é-o, de facto), mas o que disse só justifica a atribuição da estatueta ao filme se não houver melhor.

É que, dentro dos melhores, Babel está incluído, mas no top5, é o pior dos melhores. A qualidade do filme é ofuscada pelo The Departed e pelo Letters of Iwo Jima (que ainda não vi, mas as circunstâncias em que foi feito faz por merecê-lo).

É que se o motivo é premiar a "trilogia da dor" que o realizador fez, a estatueta seria bem entregue, mas os Óscares são atribuídos anualmente, e não podem ceder a essas conveniências.

Temos de ser objectivos na análise. Babel assemelha-se ao Traffic, embora este último seja, a meu ver, melhor. E nem por isso ganhou o "Melhor Filme" do ano 2000.

31 de janeiro de 2007 às 01:18  
Anonymous Alvy Singer said...

Caro Luís, desta feita tenho que dar o braço a torcer. É verdade que a Academia não pode ceder a convenções, e a estatueta deverá ser sempre entregue à melhor obra, relativamente a todas as outras do mesmo ano, e nunca àquela que fecha um ciclo, seja ele qual for. Sou o primeiro a rejeitar a vitória de Babel, se a mesma acontecer desta forma. Mas deixe-me que lhe diga que, mesmo que assim não seja, Babel não é a minha primeira escolha. Nem mesmo a segunda. Contudo também lhe digo que, a meu ver, não é dos cinco nomeados o mais fraco (apesar da excelente interpretação de Helen Mirren, não consigo encaixar A Rainha entre os cinco melhores…). Ao responder ao repto lançado, a tentativa foi apenas a de oferecer um outro ponto de vista sobre uma película que, infelizmente, jamais será observada de forma isolada. Certamente que não nos podemos abstrair do trabalho anterior de Iñárritu (até porque é o próprio que faz questão de vincar que estamos perante uma trilogia), mas muito se ganharia se assim não fosse. Quando ambos concordamos que Babel é um grande filme, a divergência parece ser apenas esta: Apesar de não ser o melhor do ano, aceita-se a estatueta de Melhor Filme a Babel? Eu diria que sim. Farei figas por Little Miss Sunshine, mas não torcerei o nariz se Babel ganhar.

31 de janeiro de 2007 às 16:05  
Anonymous Anónimo said...

As minhas preferências são as seguintes:

Melhor filme: Babel
Melhor Realizador: Martin Scorcese
Melhor Actor Principal: Leonardo Di Caprio
Melhor Actriz Principal: Helen Mirren
Melhor Actor Secundário: Alan Arkin
Melhor Actriz Secundária: Adriana Barraza

Infelizmente ainda não vi "Letters from Iwo Jima" nem "The Last king of Scotland" pelo que não me posso pronunciar sobre eles.

Sempre me fez confusão o abuso que se faz do conceito "bom filme" ou "melhor filme". O cinema como expressão de arte transmite emoções e sentimentos distintos a cada um de nós. É como um quadro de Dali: ou se gosta ou não se gosta ou é-nos indiferente.
Por isso acho correcto que cada um indique as suas preferências com as quais podemos ou não identificarmo-nos. Não me parecem correctas as expressões do "este é que é bom" "o outro é que é melhor"!
Vem isto a propósito de não perceber a discussão anterior sobre o Babel que, para mim, é realmente o melhor filme dos que vi e que estão nomeados.

Acho no minimo caricato que o Luis Oliveira ainda não tenha visto o filme do Clint Eastwood mas já o coloque como melhor que o Babel.

Querem ver que sou eu que não sirvo para apreciar cinema? Ou para fazer comentários?

Bem, mas esta é apenas a minha opinião.

Saudações,
Pedro Lopes

31 de janeiro de 2007 às 19:34  
Anonymous Luís Oliveira said...

Alvy Singer,
Sim, "A Rainha" é menor do que o Babel. Esqueci-me desse facto. Fora isso, nada mais a acrescentar.

Pedro Lopes,
Foi com certa apatia que li o seu comentário, não pela opinião transmitida, mas precisamente por ficar sem saber o que ao certo quis dizer com isso.

Acha caricato que eu não tenha visto o Letters of Iwo Jima e o coloque acima do Babel? Caricato é uma palavra, eu chamaria antes "normal". É que o filme ainda não estreou por cá, e como não tenho por hábito sacar filmes da net, é natural que ainda não o tenha visto. Por outro lado, os diferentes timing's com que os filmes chegam às diversas salas de cinema do Mundo permitem-nos aferir certas opiniões em relação a estes, mesmo sem os tendo visto.

Com base no que os espectadores japoneses pensaram do filme (público exigente, e tema delicado) e sabendo que Eastwood dispendeu muito tempo e contratou gente japonesa para maior fidelidade à história, parece-me que, per si, isso é bastante para categorizar o filme como uma Verdadeira Obra, feita por um americano mas isenta do patriotismo cliché, quanto mais não seja pela jogada arriscada que o Eastwood tomou.

Eu não sou o inimigo público do Babel, reconheci-lhe qualidade. Não acho é que seja o melhor. Por isso pedi outras opiniões.

Esta visão não lhe retira credibilidade para criticar cinema, nem sobrevaloriza os meus pontos de vista, mas... é só a minha opinião.

Cumprimentos a todos!

31 de janeiro de 2007 às 22:14  
Anonymous Anónimo said...

Estimado Luis!

Não vale a pena alimentar discussões! Eu também não vi o "Letters from Iwo Jima e por isso não me pronuncio.

Provavelmente, como não gosto de filmes de guerra, poderia afirmar desde já que este é o pior filme de todos os que estão nomeados. Mas não o faço sem ver o filme!

Mas se acha normal definir as suas preferências sem ver os filmes então deixe de ir ao cinema e começe a comentar com base nos gostos dos outros.

Mas esta é apenas a minha opinião (e não preciso que me fundamentem gostos com base naquilo que os outros viram).
Pedro Lopes

1 de fevereiro de 2007 às 10:12  
Blogger Xana said...

Os nomeados são bastante previsíveis, com a excepção de "Uma família à beira de um ataque de nervos".
Leonardo DiCaprio, de entre dois filmes, foi nomeado por aquele em que esteve "menos bem". E vamos a ver se esquecem que o rapaz já foi (e talvez ainda seja!) uma carinha loroca e comecem a vê-lo como o bom actor que é e que, pelo menos é essa a minha opinião, sempre foi.
Scorsese talvez desta vez não seja injustamente esquecido, nem seja novamente passado para trás por Eastwood.
E pensar que até Mark Wahlberg conseguiu uma nomeação para actor secundário, deixando Matt Damon no esquecimento.
As actrizes é que, sem dúvida, foram escolhidas a dedo, com Penélope Cruz a dar um passo de gigante graças a Almodovar.
Pena é Eduardo Serra não ter sido nomeado para melhor fotografia.
Haverá surpresas na noite dos Oscares tal como houve no ano passado, com "Brokeback Mountain" a perder para "Crash"? Esperemos que sejam apenas boas surpresas!

9 de fevereiro de 2007 às 01:00  
Anonymous Anónimo said...

a kate devia ganhar

9 de fevereiro de 2007 às 11:11  
Anonymous Anónimo said...

Winslet? Não, Mirren.

9 de fevereiro de 2007 às 15:58  
Anonymous Anónimo said...

acho que este ano os óscares vão ser muito bom e defenitivamente este ano vai ser do martin scorsese e acho tambem que o leornado dicaprio merece também o óscar ele já provou ser um grande actor e acho que dreamgirls não é um grande filme. acho que poderá haver algumas surpresas

9 de fevereiro de 2007 às 19:49  
Anonymous Anónimo said...

ainda queria perceber a euforia à volta de Babel.
O realizador prova que não tem originalidade. É à la Dan Brown, tem um sucesso e depois toca de papel quimico.
Não lhe quero tirar qualidade, mas estamos a falar dos melhores dos melhores, e Babel não é um dos melhores dos melhores, muito menos The Queen.
Não me desilude porque já estava a espera.
Posso estar a ser radical, mas ha nomeações que nao entendo. Will Smith? Não. O que o Will Smith fez naquele filme muitos fazem. melhor actor tem que ser alguem que se destaque, que consiga mais que o normal.
Bem... um dia espero gostar das nomeações, um dia...

11 de fevereiro de 2007 às 01:18  
Anonymous Paulo said...

Mais uma corrida aos Oscares e mais um debate sobre quem devia e não devia ganhar. Sendo assim, aqui vai a minha lista de vencedores nas principais cayegorias (aqueles em quem eu votaria se fosse membro da academia...):

Filme: Babel (só não vi "Letters from Iwo Jima",e achei "The Queen" um filme muito enfadonho...)

Realizador: Scorsese (apesar de gostar imenso de Iñárritu..)

Actor: Ainda não vi "Half Nelson".. Dos restantes acho que Will Smith faz um grande papel no filme (ao contrário do que o anterior diz) assim como Dicaprio, no entanto, meu voto recairia sobre Forest Whitaker em “The Last King of Scotland” o qual vi ontem!

Actriz: A minha ordem de preferência iria em primeiro para kate Winslet, incondicionalmente, seguida de Judi Dench, Meryl Streep, Helen Mirren (apesar de uma grande representação não chegaria para levar o Oscar... acho que um papel contido e fechado como o de Winslet em "Little Children" é bem mais difícil de representar...no entanto é Mirren que vai ganhar). Por último Penélope Cruz.

Actor Secundário: Alan Arkin (ainda não vi Eddie Murphy)

Actriz Secundária: Adriana Barraza

Filme Estrangeiro: Pan’s Labyrinth

Arg. Adaptado: Little Children

Arg. Original: Babel

Dia 25 lá estaremos para mais uma maratona noite dentro para ver os vencedores..

17 de fevereiro de 2007 às 15:55  
Blogger renato said...

Não compreendo a falta de nomeações do filme "A Good German", estando presente apenas nas categorias mais técnicas, mas o júri é soberano e lá terá as suas razões.

Relativamente aos óscares as minhas apostas são as seguintes:
Melhor filme-Babel
Melhor realizador-Martin Scorsese (para compensar as injustiças e erros do passado)
Melhor actor-Forest Whitaker ou Peter O'Toole (se bem que Leonardo Dicaprio poderá ter hipóteses)
Melhor actriz-Helen Mirren (como se já não fosse quase certo, se bem que Kate Winslet também era merecedora)
Melhor actor secundário-Djimon Hounsou
Melhor actriz secundária-Cate Blanchet ou Jennifer Hudson
Melhor filme estrangeiro-El Laberinto del Fauno
Melhor filme de animação-Cars
Melhor fotografia-A dália negra (se bem que a ausência de Eduardo Serra dos nomeados é uma vergonha)

Quanto ao resto não sei....

20 de fevereiro de 2007 às 13:25  
Anonymous André M. said...

Ok, quem eu gostava de ver subir ao palco:

Melhor Filme - Entre Inimigos
Melhor Realizador - Martin Scorsese
Melhor Actor - Will Smith
Melhor Actriz - Kate Winslet
Melhor Actor S. - Eddie Murphy
Melhor Actriz S. - Abigail Breslin

Só não quero que ganhe a Rainha!!!

20 de fevereiro de 2007 às 22:13  
Anonymous Paulo said...

Apesar de alguns comentários menos favoraveis a Babel, para mim o Oscar de Melhor Filme já tinha destino.

Vou destacar apenas uma interpretação - Adriana Barraza. Que actriz, que interpretação! Será uma grande injustiça se o Oscar não lhe for entregue....

21 de fevereiro de 2007 às 22:20  
Blogger Alvy Singer said...

Aqui vão as escolhas de Alvy Singer. Estas terão obviamente algumas limitações, por não ter recebido em casa os screeners de todos os nomeados, como acontece a qualquer membro da Academia. Ainda assim, acredito que os Oscares ficariam muito bem entregues desta forma:

Filme Uma Familia à Beira de um Ataque de Nervos
Realizador Paul Greengrass
Actor Leonardo DiCaprio
Actriz Helen Mirren
Actor S. Mark Wahlberg
Actriz S. Adriana Barraza
Argumento O. Cartas de Iwo Jima
Argumento A. Entre Inimigos
Fotografia O Terceiro Passo
Montagem Voo 93
Filme Animação Happy Feet
Documentário Uma Verdade Inconveniente

21 de fevereiro de 2007 às 22:35  
Anonymous Cipri said...

Se eu fosse um membro da Academia, estes seriam os filmes em que votava:

Filme- The Departed: Entre Inimigos
Realizador- Martin Scorsese
Actor- Forest Withaker
Actriz- Helen Mirren
Actor Secundário- Alan Arkin
Actriz Secundária- Rinko Kikuchi
Filme de Língua Não Inglesa- El Laberinto del Fauno
Filme de Animação- Carros
Argumento Original- Família À Beira de Um Ataque de Nervos
Argumento Adaptado- The Departed: Entre Inimigos
Direcção Artística- El Laberinto del Fauno
Fotografia- O Terceiro Passo
Guarda-Roupa- Marie Antoinette
Montagem- The Departed:Entre Inimigos
Caracterização- El Laberinto del Fauno
Banda Sonora- El Laberinto del Fauno
Canção Original- "Listen" Dreamgirls
Efeitos Sonoros- Apocalypto
Som- Diamante de Sangue
Efeitos Especiais- Super-Homem: O Regresso

22 de fevereiro de 2007 às 09:48  
Blogger lothlorien said...

Aparentemente, sou a única que achou Little Miss Sunshine um filme brilhante e que merece o Oscar. É que, ao contrário de todos os outros filmes nomeados, é um excelente filme mas despretencioso, sem intenções de apregoar uma moral ou seja o que for. Não tem nada a ver com Os Tennembaums,como já vi escrito; o estilo adoptado pelos realizadores e a irreverência talvez sejam semelhantes mas acaba por aí (e sim, eu adorei Os Tennembaums). Enfim, sei que é daqueles filmes cujas nomeações são já um prémio mas não deixo de torcer por ele ;) Quanto ao realizador, a minha opção vai para Stephen Frears. Ah, e a Kate Winslet já merecia o Oscar. Bons Oscars para todos :)

24 de fevereiro de 2007 às 20:41  
Blogger João said...

Não vi a maioria dos filmes mas, pelo que vi, acho que Scorsese merece o óscar, pela carreira e pela realização em "The Departed". O filme tem um ou outro aspecto do qual gostei menos e, nalgumas coisas (o final, por exemplo), perde para o filme no qual se inspirou. Mas a filmagem, as perpectivas que o realizador nos dá e a intensidade do filme penso que justificam o óscar. Contudo, se calhar mais que a categoria de melhor realizador, este filme merecia ganhar o óscar de melhor banda sonora: a música dos rolling stones, de van morrison e outras músicas encaixam muito bem no filme. Aliás, penso que se refere pouco a importância da música nos filme de Scorsese; já vi muitos filmes deste realizador com bandas sonoras espantosas: "Casino" ("The House of the Rising Sun", por exemplo), "Touro Enraivecido" ("Cavaleria Rusticana"), "New York New York" não podia faltar nesta referência e mesmo "Gangs de Nova Iorque" tem a boa música dos U2 e também uma bela música de abertura, que me parece a mim, que não sei nada de música, um blues semelhante a algum do aparece no documentário de Scorsese sobre os blues

24 de fevereiro de 2007 às 22:49  
Blogger lothlorien said...

João, percebo o que queres dizer com a banda sonora, mas o que é nomeado é a banda sonora original, ou seja, composta exclusivamente para o filme em questão. No caso de Gangs de Nova Iorque, por exemplo, foi nomeada a música dos U2 que, lá está, foi criada propositadamente para o filme.

25 de fevereiro de 2007 às 01:55  

Enviar um comentário

<< Home

Menu Principal

Home
Visitantes
Website Hit Counters

CONTACTO

deuxieme.blog@gmail.com

Links

Descritivo

"O blogue de cinema"

  • Estreias e filmes em exibição
  • Próximas Estreias
  • Arquivos

    Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011

    Powered By





     
    CANTINHOS A VISITAR
  • Premiere.Com
  • Sound + Vision
  • Cinema2000
  • CineCartaz Público
  • CineDoc
  • IMDB
  • MovieWeb
  • EMPIRE
  • AllMovieGuide
  • /Film
  • Ain't It Cool News
  • Movies.Com
  • Variety
  • Senses of Cinema
  • Hollywood.Com
  • AFI
  • Criterion Collection