Deuxieme


domingo, dezembro 21, 2008

Noites (frias) em Rodanthe.

A uma semana de mergulharmos de cabeça nas grandes estreias da temporada, com a chegada dos principais candidatos aos Oscar, as propostas que por aí andam, longe de serem pobres, também não nos deixam com água na boca. O Sorriso das Estrelas, titulo há muito antecipado, foi sofrendo duros golpes ao longo do ano, de cada vez que um critico do outro lado do oceano tinha algo a dizer. As opiniões pareciam não divergir muito, e aquilo que prometia ser um romance ao nível de The Notebook, estava a revelar-se, afinal, como um filme para ver num domingo à tarde, se o sol resolvesse esconder-se. As hipóteses de Diane Lane chegar a uma nomeação para os Oscar esfumaram-se, e logo surgiram comparações com a obra homónima de Nicholas Sparks, considerada largamente superior. No fundo, as estrelas não quiseram sorrir para George C. Wolfe.

No entanto, nem tudo é mau no trabalho do realizador, que aqui se estreou numa longa-metragem. A começar por Viola Davis. A actriz, que este ano se afigura como uma das grandes revelações, depois do seu desempenho em Doubt, é a lufada de ar fresco que tanta falta faz, muitas vezes, aos melodramas desta estirpe. Chato é Wolfe dar-lhe tão pouco tempo de antena. Quando a audiência se liberta para um ou outro sorriso, logo voltamos à deprimente psique dos dois protagonistas, carentes de tudo e mais alguma coisa. Um maior equilíbrio teria aliviado a narrativa. Contudo, não devia ser essa a visão do cineasta e, quanto a isso, é comer menos. Ao mesmo tempo, Diane Lane não defrauda expectativas. Lane só não dá mais, porque a rédea é curta. À primeira vista, este seria o papel ideal para a actriz voar, e chegar à tal nomeação que muitos esperavam. Por vezes, até vemos Lane a levantar voo. Porém, não passam de escalas. Nunca chega ao destino pretendido. E, nas mãos de, por exemplo, um Ron Howard – que já não liga a projectos desta natureza –, talvez o resultado fosse outro. Por seu lado, Richard Gere oferece-nos um dilema. No final, ficamos com a impressão que a qualidade do actor impediu que o filme se afundasse ainda mais. Ao mesmo tempo, parece que Gere passou o tempo todo em piloto automático, sem nunca se entregar verdadeiramente à personagem. A única excepção, ironicamente, é quando o seu Dr. Paul Flanner aparece em fotografias. Para além disto, é claro que temos a praia arrebatadora, acompanhada da sentida banda sonora de Jeanine Tesori. Contudo, o filme nunca pega verdadeiramente. Os conflitos familiares parecem colados a cuspo, e a base que sustenta o grande amor é mais frágil que a estalagem à beira-mar onde tudo nasce. Há momentos, é certo, em que nos deixamos envolver pelas sedutoras teias do romance. Agora, assim como Adrienne Willis demora alguns segundos a acordar do sonho, logo no inicio, também nós nunca chegamos verdadeiramente a fantasiar. Como um todo, O Sorriso das Estrelas deixa a desejar. Há que dizê-lo. Os filmes a rodos que já vimos deste género, sobretudo nos eighties, foram a vacina que hoje nos deixa imunes a estes enredos. Um bom filme, como um grande amor, deixa-nos doentes. Este, talvez chegue a ser uma pequena constipação. Não mais do que isso.

Bruno Ramos

Etiquetas: , ,

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Filme muito fraquinho e o final...

21 de dezembro de 2008 às 23:35  

Enviar um comentário

<< Home

Menu Principal

Home
Visitantes
Website Hit Counters

CONTACTO

deuxieme.blog@gmail.com

Links

Descritivo

"O blogue de cinema"

  • Estreias e filmes em exibição
  • Próximas Estreias
  • Arquivos

    Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011

    Powered By





     
    CANTINHOS A VISITAR
  • Premiere.Com
  • Sound + Vision
  • Cinema2000
  • CineCartaz Público
  • CineDoc
  • IMDB
  • MovieWeb
  • EMPIRE
  • AllMovieGuide
  • /Film
  • Ain't It Cool News
  • Movies.Com
  • Variety
  • Senses of Cinema
  • Hollywood.Com
  • AFI
  • Criterion Collection